Sábado, 16 de Outubro de 2010

Não há fome que não dê em fartura

Após estar mais de dois meses sem pedalar em Sintra, nesta ultima semana consegui ir andar na nossa bela serra três vezes (e amanhã estou lá batido outra vez).

Na sexta-feira passada arranquei, juntamente com o FG e o MR, da Atrozela, para uma volta que teve algumas variações relativamente aos caminhos que vai sendo hábito fazermos.

Ponto de partida. Rotunda da Atrozela.

Apesar do céu ter estado quase sempre nublado, a falta de vento e a temperatura amena criaram as condições para uma bela manhã de BTT. A grande carga de água que caiu exactamente há uma semana atrás, deixou os pisos com uma excelente tracção, apesar de também ter já iniciado o processo de erosão dos estradões que tinham sido arranjados há pouco tempo (já se começam a notar alguns regos). Outras das coisas que estas primeiras chuvas trouxeram, foram os cogumelos. Começam a aparecer por todo o lado, alguns deles já com dimensões apreciáveis.

Após termos deixado a Atrozela, o Refilão e o Pisão para trás, resolvemos dirigir-nos para Murches, a partir de onde faríamos a ligação para o Guincho e para a Malveira. Sempre era uma maneira de variar do tradicional início pela Barragem da Ribeira da Mula, ou pelo estradão do Saldanha (e uma forma  de não começar a subir).

Cancela de entrada no Pisão, a partir da Atrozela.

Uma lagartona que se nos atravessou no caminho.

Refilão.

Em Murches, a treta de uma vedação recentemente instalada, obrigou-nos a procurar uma alternativa. Esta, apesar de muito interessante, acabou por revelar-se um beco sem saída e lá tivemos de seguir por estrada.

Novos trilhos na zona de Murches.

Já no Guincho, nova variação. Subimos até ao marco geodésico do Barril e ligámos ao caminho tradicional para a estrada da Malveira da Serra, através de uns belos trilhos, nos quais nunca tinha pedalado.

Subindo com o Forte do Abano em fundo.

Marco Geodésico do Barril e praia do Guincho.

 

Peninha e Malveira da Serra ao longe.

Na Malveira decidimos tomar um caminho que muito raramente fizemos. Subimos as difíceis rampas de cimento, que nalguns pontos chegam aos 26% de inclinação. A belíssima e diferente vista que se tem do alto destas rampas, compensa no entanto plenamente a dificuldade de as subir.

Subida a partir da Malveira da Serra.

Até dói, só de olhar.

26 % de inclinação.

A vista compensa o esforço.

Proximo destino Peninha.

A torre de vigia da Pedra Amarela vai surgindo em segundo plano.

Na ligação para a Peninha, optámos por não subir a rampa que passa pelo Cabeço do Vento (tb. nunca a conseguimos fazer a pedalar até ao fim), utilizando antes um caminho mais progressivo e suave.

O caminho de volta foi feito pela Urca, Capuchos, trilhos maravilha, descida do Saldanha, Pisão, Refilão e Atrozela. Foram 42 Km e 1000m de acumulado de subidas, feitos a um ritmo calmo e descontraído, numa bela manhã de Outono.

Paragem antes da Urca...

...para fotografar cogumelos.

PM

tags:

publicado por pedramarela às 23:25
link do post | comentar | favorito
|

.pedrAmarela BTT


. sobre nós

. seguir perfil

. 1 seguidor

.pesquisar

 

.Maio 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Novas Camisolas num dia d...

. 25 de Abril à Chuva

. 10.000 km em Single-Speed...

. SSintra, 26-02-2012

. Sintra - 17-02-2012

. Arrábida - 10-02-2012

. Moinhos da Raimonda - 05-...

. Arruda/Montejunto - 26-01...

. Malveira/Arruda/Sobral - ...

. Malveira/Santa Cruz - 13-...

.arquivos

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Junho 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

.links

SAPO Blogs

.subscrever feeds