Domingo, 15 de Janeiro de 2012

Colagem de Tracks - 11-01-2012

     Para esta volta, que contou com a visita do Zé Pereira, o Jorge propôs seguirmos uma colagem de tracks. Assim, começariamos por seguir em direcção a Cheleiros (via Carregueira), para depois apanharmos o track da maratona de Sintra até aos Capuchos, e regressar a casa pela Atrozela, seguindo o track da nossa volta das subidas de Sintra.

     A primeira parte foi cumprida rigorosamente até cheleiros, de onde seguimos até ao Carvalhal. Daqui ligámos até são João das Lampas e à praia da Aguda. Infelizmente os meus afazeres profissionais obrigaram-nos a abreviar a volta, não fazendo a difícil subida da serra de Sintra (Colares / Almoçageme / Ulgueira / Capuchos), atalhando antes por estrada, via Cabriz / Sacotes / Algueirão / Tala.

     Se tivéssemos feito tudo, tinha sido quase uma volta ao concelho de Sintra a partir de casa. Ainda assim, ficámo-nos por uns simpáticos 82 km, feitos em bom ritmo.

 

Serra de Sintra vista da Serra da Carregueira.

 

Passagem junto ao estabelecimento prisional da Carregueira.

 

Vista a partir do Moinho Novo da Mata.

 

Casal dos Gosmos.

 

Largo da Praça, em Cheleiros. Paragem rápida num café/mercearia à moda antiga.

 

Subida da escorregadia calçada do Carvalhal.

 

 

Aqui é Alto da Costa

Com Vista Não Igual

No Fundo Rio Lizandro

Na Encosta é

Carvalhal

 

     PM


publicado por pedramarela às 01:00
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 6 de Abril de 2011

Carregueira - 03/Abril - As Fotos

     Não foi fácil arrancar esta malta da hibernação e levá-los até à Carregueira. No entanto, uma raríssima conjugação dos astros lá permitiu este auspicioso acontecimento. Penso que não deram o tempo por mal empregue, numa volta onde este início de Primavera nos brindou com uma explosão de verde.

     Devem ter gostado tanto que já passava da hora de almoço e ainda por lá andavam. É claro que para isso também deve ter contríbuido uma corrente partida, um aro rachado, as incursões cinematográficas de uns, o empeno de outros e um ritmo de pedalada, digamos, descontraidíssimo (para não lhe chamar outra coisa).

     Aqui vos deixo algumas das muitas fotos que tive oportunidade de tirar.

Subida de Massamá para o Alto de Colaride

Alto de Colaride

Anta de Agualva. Monumento Nacional meio abandonado.

Subida junto ao campo do Agualva

Novo caminho lá para as bandas das Lopas

Descida para o Parque das Merendas, em Fitares

Estação de Meleças

Depois queixam-se que partem correntes...

Junto ao muro da Quinta do Malhapão, na Carregueira

Serra de Sintra sempre presente

Corrente partida

Chegada ao Moinho Novo da Mata

Telhal

Recordação do Inverno

MA fulmina o fotógrafo com o olhar por o ter metido nestes trabalhos...

A infame rampa de alcatrão da Cortegaça

Mas vale a pena o sofrimento

Subida para o Casal dos Gosmos

Casal dos Gosmos

Hora da merenda

Lapiás da Pedra Furada - Negrais

Vale da Calada, perto de Almargem do Bispo

Um mar de verde

Subindo o Monte Rebolo

Não podem estar umas horitas a pedalar sem abancar num café...

De quem terá sido a ideia?

Túnel de Belas

Subindo a partir do Belas Clube de Campo

Belas

Quinta da Fonteireira

Bora lá pessoal que não tarda nada está na hora do lanche!

O resultado de 7000 km de SS. Vá lá que deu para chegar a casa.

 

 

PM


publicado por pedramarela às 23:40
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Domingo, 3 de Abril de 2011

Carregueira-Lapiás_03Abril2011

Bela voltinha saloia de cerca de 60km, com a presença de 6 pedrAs. Bom tempo, mas algum ventinho. Saída de Tercena, com passagem por Colaride, Cacém, Tala, Moinho Novo da Mata, Vale da Calada, Belas e o seu famoso túnel e Queluz. Belos trilhos e muito divertimento! Mais!

 

 

FG

música : Queen e James Taylor


publicado por pedramarela às 01:37
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 14 de Março de 2011

7000km SS

 

     Voltinha a solo, comemorativa dos 7000 km da minha Surly 1x1, o que corresponde a 472 horas a pedalar em 32x18, feitos entre 9 de Janeiro de 2009 e 12 de Março de 2011.

     Cerca de 65 km, com passagem, entre outros locais, pela serra da Carregueira, Telhal, Pexiligais, Algueirão, Sacotes (alguém sabe onde fica esta bela localidade?), Lourel, Sintra, Eugaria, Colares, Capuchos, Palácio da Pena, Abrunheira e Paiões.

     Algumas destas fotos, penso que são inéditas para a maioria dos pedras.

 

     PM


publicado por pedramarela às 23:46
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 4 de Fevereiro de 2011

Momentos Suinos

     Visto não ter levado comigo a máquina fotográfica, deixo aqui estas fotos tiradas em Outubro passado na Serra da Carregueira e que espelham bem o ambiente bucólico que encontrámos hoje durante a nossa volta pela mesma zona.

     Volta em ritmo super descontraído, com muitas invenções pelo meio, numa magnífica manhã de sol.

 

 

 

 

 

 

     PM


publicado por pedramarela às 21:13
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 20 de Outubro de 2010

Volta Grandalhona da Carregueira - 20-10-10

     Nesta bela manhã de Outono, eu e o JC voltámos à região saloia para mais um belo esticão.

     Para animar um pouco mais as coisas, resolvemos alargar a chamada volta grande da Carregueira (com cerca de 70 km, partindo de Tercena), acrescentando-lhe umas variações que integravam a volta média. Ficámos assim com 80 quilómetros de pisos variados, agrestes e empenantes, com 1700m de acumulado de subidas, que despachámos em pouco mais de cinco horas e a que passámos a chamar volta grandalhona da Carregueira.

     Passagem por Massamá, Colaride, Cacém, Meleças, Tala, Carregueira, Telhal, Palmeiros, Casal dos Gosmos, Vale da Calada, Monte Rebolo, Godinheira, Casal do Muxarro, Monte Funchal, Mafra Gare, Negrais, Pedra Furada, Olelas, Almornos, Fonteireira, Belas, Venda Seca, Cacém, Colaride, Massamá e Tercena.

     Não percam os próximos capítulos.

Vista da Serra de Sintra a partir do Moinho Novo da Mata.

Nova descida a partir do moinho.

Início da descida para Mafra Gare, após contornarmos o Monte Funchal. Sintra no horizonte.

Vindos de Mafra Gare, em direcção a Negrais.

Vale da Calada, antes da passagem por Olelas.

 p.s. No final ainda sugeri ao JC que voltasse a dar mais uma volta a este percurso, sózinho, como treino para a super-travessia. Mas ele não foi muito receptivo à ideia.

 

     PM


publicado por pedramarela às 22:06
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 15 de Junho de 2010

Carregueira e Lapiás 13 Junho - vídeo

 

 

Mais um vídeo feito pelo Miguel Romão : dia de StºAntónio a pedalar na Carregueira e zona saloia. BTT do melhor !

 

 

 

FG


publicado por pedramarela às 01:13
link do post | comentar | favorito
Domingo, 30 de Maio de 2010

Carregueira - Lapiás - Belas 30 Maio 2010

 

Hoje, após muitos meses, regressei à Carregueira, local onde comecei, há longos anos, a fazer BTT.

Foi um passeio espectacular na companhia do Pedro Mateus e do Jorge Caiado, percorrendo trilhos magníficos com o excelente enquadramento paisagístico proporcionado pela explosão de bio-massa típica de uma primavera tardia que se segue a um inverno bastante chuvoso.

 

 

Fernando Godinho, Jorge Caiado e Pedro Mateus

 

Eu comecei na Vesauto (Venda Seca - Cacém) e os meus dois companheiros juntaram-se aí a mim, depois de terem partido a pedalar de Tercena.

Descemos em direcção à Abelheira, passámos depois em Fitares e dirigimo-nos à Tala. São mais que muitas as alterações que tivémos que fazer em relação ao percurso "antigo", devido à completa modificação da rede viária provocada pela construção da autoestrada nova. Enfim.... é o "progresso".....

 

Depois da Tala, começámos então a entranhar-nos na Serra da Carregueira, com passagem pela lindíssima Quinta do Malhapão e pela carreira de tiro dos comandos. Subimos ao Monte Suímo (ponto mais alto das redondezas - a seguir à Serra de Sintra, claro), circundámos o golf do Lisbon Sports Club e a penitenciária, para chegarmos ao Moinho Novo da Mata, onde um outro betetista fez o favor de nos tirar a foto acima exibida. Repare-se na excelente vista sobre a Serra de Sintra!

Fizémos (com alguns desmontanços...) a descida do moinho e seguimos em direcção ao Vale da Calada. Passámos em alguns trilhos que representaram novidade para mim (e ainda bem, é o que eu mais gosto!) e fizémos uma famosa rampa em alcatrão que "ófaxavor"....

 

Os campos estão realmente muito bonitos, há flores por todos os lados. Os coelhos e até alguns lagartos cruzam os trilhos á nossa frente. O dia também ajudou, diga-se de passagem...

 

 

 

 

Como já devem ter reparado, o PM levou a sua Surly 1x1 singlespeed e o Jorge trouxe uma máquina emprestada, devido ao facto de a sua estar "no estaleiro". Lá na loja impingiram-lhe uma 29er (BTT com roda de 29' em vez de 26'), para ele experimentar. A bicla é lindíssima e o homem adaptou-se perfeitamente .... com a força dele, outra coisa não seria de esperar...

 

Passámos por uma zona absolutamente obrigatória : O Campo de Lapiás da Pedra Furada. Aí aproveitámos para comer qualquer coisita...

 

 

 

Subimos depois ao Monte Rebolo e, pouco tempo depois, encontrámos o amigo Zé Carlos acompanhado por outro elemento do grupo sobesobeedesce, que nos fizeram companhia durante algum tempo.

 

Próximo destino : Vale de Lobos, uma pequena e sossegada localidade, rodeada de excelentes trilhos para a prática do BTT. Gancho à esquerda e........ uma grande rampa (que há anos não visitava....) em direcção ao Belas Clube de Campo.

Quem sobe, tem que descer. E assim foi, pelos caminhos ao longo do campo de golfe, fomo-nos aproximando de Belas. Não houve tempo para ir comer um fôfo.; seguimos de volta à Carregueira. Antes disso, claro, houve a obrigatória passagem pelo vale da Ribeira de Belas e pela fantástica Quinta da Fonteireira.

 

 

 

Chegados a Idanha, os "geo-raiders" seguiram o seu rumo (Tercena) e o "empenado" (eu) pedalei na direcção da vesauto, onde o meu carrito me esperava....

 

Foi uma excelentíssima manhã de BTT. Agradeço ao Pedro e ao Jorge a paciência que tiveram em aturar o meu andamento. Temos que voltar em breve (Miguel !! há umas zonas com singles - e não só - excelentes para filmagens).

 

Pr'á semana : Caneças trip !!! Amigo Rui A, prepara a logística.

Brevemente : G E R Ê S ......

 

Boas pedaladas (dessas e das outras) !

 

FG

 

 


publicado por pedramarela às 16:48
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Domingo, 28 de Fevereiro de 2010

Balanço do Mês de Fevereiro

 

 

Quando ouço certo pessoal queixar-se que este Inverno está a ser muito rigoroso e que já não pedala há um mês por causa da chuva e do frio, não posso deixar de achar alguma graça.

É verdade que o Inverno está a ser tramado. Frio, chuva, vento e lama não têm faltado. Mas fazendo o balanço do mês de Fevereiro, constato que fiz todas as minhas saídas de BTT previstas, tendo sido raríssimos os dias em que apanhei muito frio ou chuva.

Podem dizer que tive sorte e que muitas das vezes arrisquei-me a levar com umas valentes cargas de água em cima. É verdade, mas quem não arrisca não petisca. Podem dizer que não é muito agradável pedalar com este tempo incerto e com os trilhos todos molhados e enlameados. Também pode ser verdade, mas só custa arrancar. Depois de aquecer, após ser ultrapassada a barreira psicológica das primeiras aragens frias, dos primeiros salpicos e das primeiras poças de lama, encontramos o nosso ritmo e a coisa até é divertida. Especialmente com a dose certa de motivação e com a roupa adequada. Podem ainda argumentar que andar com esta lama toda dá cabo do material. Não deixa de ser verdade, mas podemos sempre fazer algumas adaptações aos percursos a utilizar, escolhendo aqueles que criam menos lama (tipo Sintra), ou então optar por utilizar a bicicleta mais adaptada e divertida para estes pisos pesados, que como já devem ter adivinhado é a single-speed.

Em Fevereiro fiz 12 saídas de BTT, nas quais percorri 705 km. Pedalei durante 44 horas, das quais só em 15 minutos é que apanhei chuva da grossa. E porque quis. Só no Domingo de Carnaval é que esteve mesmo frio.

Pedalei 5 vezes no Estádio Nacional (zona de lama), 1 vez em Monsanto (zona de lama), 1 vez em Caneças (zona de lama), 1 vez na Carregueira (zona de lama) e 4 vezes e Sintra (zona que cria pouca lama).

Dois terços destas saídas foram feitas a solo. Dois terços destas saídas foram feitas de single-speed, a melhor amiga da água e da lama.

Espero que durante o mês de Março possa manter este ritmo de treino, ou mesmo aumentá-lo, já que a primeira etapa do Geo-Raid (S. Pedro do Sul) é já no início de Abril.

Nesta semana, onde pedalei duas vezes no Estádio e uma em Sintra, apanhei com a primeira grande carga de água na cabeça.

Na terça-feira, vinha eu do Estádio todo contente e enlameado, onde tinha arrasado com os trilhos todos, quando, após passar o túnel da Cruz Quebrada, reparo que o tempo estava com muito mau aspecto na direcção de Carcavelos. Começa então a cair uma chuva forte puxada a vento. Podia ter-me abrigado no túnel, mas optei por continuar. Foram cerca de quinze minutos até Laveiras, contra o vento e debaixo de chuva torrencial. O que vale é que não estava frio e sempre deu para lavar a bike (e a mim).

Sexta-feira foi dia da volta das subidas em Sintra, arrancando a pedalar de casa. O tempo esteve óptimo. Desta vez tive a companhia do Jorge Caiado e do Nuno Diniz. O JC, apesar de estar a treinar mais corrida, aguentou-se bem como de costume. Já o Nuno, não tem feito o trabalho de casa e teve alguns problemas (leia-se empeno). A última vez que o tinha visto assim (tipo zombie) foi quando da sua entrada naquele café em Sintra, durante a realização do saudoso S3K. Mas o que interessa é que saiu do conforto dos lençóis e foi pedalar. E o resto é conversa.

Hoje, fiz mais uma incursão ao Estádio. Apesar do dia ter amanhecido sequinho, o Windguru dava 1 mm de chuva para as 9h00 e o dobro para o meio dia. Estava eu todo equipadinho a tomar o pequeno-almoço, quando, às 8h20, começa a trovejar e a chover com força. Só lá para as 9h00 é que parou de chover e arranquei. Escusado será dizer que o Estádio estava um enorme lamaçal. Mas, como sempre, foi divertido e a SS esteve como peixe na água. Até consegui bater o meu record de média para esta volta, ultrapassando a mítica barreira dos 18 km/hora. Tinha acabado de chegar a casa, às 12h00 em ponto, começa a chover. Mais precisão do que isto é impossível.

 

 

A título de curiosidade, ontem retomei as minhas corridas na praia (as do monte nunca as deixei). E não podia ter escolhido melhor dia. Alerta laranja, a marginal cortada por causa das vagas que a invadiam e uma ventania ciclónica. Carcavelos estava toda branca, da espuma que era espalhada pelo vento. Coisas destas não se vêm no ginásio.

 

PM

 


publicado por pedramarela às 21:05
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 15 de Dezembro de 2009

Chegou o Frio

 

Hoje, eu e o JC resolvemos variar mais um pouco. Assim, trocámos a tradicional (já enjoa) volta das terças em MonSSanto, pela já rara volta da Carregueira. Como estávamos algo curtos de tempo, optámos pela versão mais curta deste clássico.

Arrancámos de minha casa pelas 8h00, em direcção a Colaride. Íamos bem agasalhados, pois finalmente o frio resolveu fazer-se sentir (2 graus era a temperatura matinal).

Após a Anta de Agualva, começaram as variações. Em vez de seguir pela Tala, resolvemos entrar na Carregueira junto da Vesauto (já nem me lembro da última vez que por aí tinha passado). Campo de Golfe, penitenciária e nova variação. Descemos pelas pedras, a partir do Moinho Novo da Mata. A descida está muito escavacada, mas lá se foi fazendo.

A partir daqui apanhámos as primeiras poças de lama cobertas de gelo. Para evitar a maior delas, não descemos pela ponte de madeira, tendo optado antes por passar naquela pequena ponte de cimento.

Após a passagem de nível, somos obrigados a nova variação. Estavam a construir um viaduto na entrada do trilho e tivemos de entrar uns cem metros mais à frente.

O resto da volta foi o tradicional: Sabugo, Casal dos Gosmos, Vale da Calada, Rebolo, Almargem, Almornos, túnel de Belas, Fonteireira, cemitério, travessia do Jamôr (já dá para subir a rampa a seguir), Venda Seca, Anta, Colaride e Tercena.

Esta volta serviu também para desmistificar o mito urbano, que afirma não ser possível pedalar por estas bandas no Inverno. Que tem muita lama e tal. Apenas tivemos de ajustar uma ou outra passagem, para evitar pontualmente umas poças de lama maiores. Tirando isso, o terreno estava bom.

Apesar de já não estarmos habituados, estando bem agasalhados, foi bastante agradável pedalar sentido a brisa fresca na cara. Até as subidas estavam mais convidativas.

 

PM

 


publicado por pedramarela às 21:30
link do post | comentar | favorito

.pedrAmarela BTT


. sobre nós

. seguir perfil

. 1 seguidor

.pesquisar

 

.Maio 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Colagem de Tracks - 11-01...

. Carregueira - 03/Abril - ...

. Carregueira-Lapiás_03Abri...

. 7000km SS

. Momentos Suinos

. Volta Grandalhona da Carr...

. Carregueira e Lapiás 13 J...

. Carregueira - Lapiás - Be...

. Balanço do Mês de Feverei...

. Chegou o Frio

.arquivos

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Junho 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

.links

SAPO Blogs

.subscrever feeds