Domingo, 6 de Fevereiro de 2011

À Conquista do Oeste III - Malveira - 19/Jan.

     O objectivo para esta terceira volta seria chegar à Malveira e contornar a Tapada de Mafra.

     Até à Serração de Vale de Lobos seguimos o mesmo percurso das voltas anteriores. A partir daí decidimos evitar Pêro Pinheiro e Cheleiros, procurando estradas com menos trânsito. Seguimos então por Vale de Lobos, Almornos, Aruil, Almargem do Bispo, Alfouvar, Anços, Mafra Gare e Alcainça. Esta opção revelou-se acertada, pois realmente tem pouco trânsito e, especialmente entre Anços a Alcainça, a paisagem é muito interessante.

     Em Alcainça apanhámos a EN8 que nos levou até à Malveira e a Vila Franca do Rosário. Como é óbvio, as estradas nacionais são sempre mais chatas por terem mais carros a circular, mas esta era a opção mais directa e rápida para o nosso objectivo.

     Saindo da Nacional 8, entramos naquele que é a meu ver uma das estradas mais interessantes para pedalar nesta zona e que, passando pelo Gradil e pela Murgeira, segue junto ao muro da Tapada de Mafra, num percurso sinuoso, praticamente sem trânsito, com umas boas subidas (e descidas também) e lindíssimo.

     Em Mafra hesitamos se devemos seguir para a Ericeira ou para a Sra. do Ó. Começamos a seguir a primeira opção mas, no Sobreiro, o Jorge lembra-se de tentar atalhar em direcção à segunda. Saímos então de estrada e começamos a descer um estradão inclinadíssimo e em mau estado (regos) que nos foi enfiar bem no fundo de um dos lindíssimos e típicos vales desta zona. O problema foi sair de lá. A subida era longa, inclinada e com péssimo piso, obrigando-nos a empurrar as bikes durante um bom bocado. Mas valeu a pena pelo excelente momento de BTT que nos proporcionou.

     Passada a Sra. do Ó, a Carvoeira, a bela rampa de S. Julião e a Assafora, resolvemos inventar mais um bocadinho e meter mais para a direcção do mar, passando por Cortezia e Catribana. Ainda olhámos para a calçada romana desta ultima localidade, que se via ao longe, mas percebemos que estava cheia de água e impraticável. Com a calçada fora de questão e como a Catribana só tem uma estada de acesso, não nos restou outra opção que não fosse voltar para trás, até Assafora.

     Desta vez optámos por entrar em Sintra pela Várzea, seguindo até ao Lourel e passando por A-do-Longo, Arneiro dos Marinheiros, Aldeia Galega, Morelinho e Cabriz. Depois foi subir bem até Ranholas, passando pelo centro de Sintra. Diga-se que, a partir de Cabriz, achámos este percurso um bocado stressante, já que a estrada é estreita e tem algum trânsito.

     A parte final da volta foi quase idêntica à anterior (Abrunheira, Albarraque, Paiões, Vale Mourão, Estrada de Paço-de-Arcos, Marco Geodésico do Cotão e S. Marcos), mas desta vez conseguimos evitar entrar no IC19. Uma referência muito especial para um troço interessantíssimo em Paiões, que segue por entre os muros de várias quintas.

  

 

 

   Dados GPS:

  * Distância 106 Km;

  * V. Máx. 70,3 Km/h;

  * Tempo Desloc. 5h022';

  * Tempo Parado 3':41"';

  * Média Desloc. 19,8 Km/h;

  * Média Geral 19,6 Km/h;

  * Desnível Acomulado 1912m;

  * Elevação Máxima 326m (Almargem do Bispo).

 

     Nota da redacção: Como sabemos que algum pessoal revela dificuldades com as letras e com a leitura, sendo mais dado à banda desenhada, estamos desde já a envidar esforços no sentido dos próximos capítulos desta saga serem já profusamente ilustrados por fotografias. Esperamos que dessa forma os possam seguir mais facilmente.

 

     PM

 


publicado por pedramarela às 21:23
link do post | comentar | favorito
Sábado, 5 de Fevereiro de 2011

À Conquista do Oeste II - Ericeira - 14/Janeiro

     Como já tinha referido no primeiro capítulo destas crónicas, esta segunda volta da Conquista do Oeste contou já com a companhia do JC.

     Com partida às 8h15 de Tercena, até Igreja Nova seguimos exactamente o mesmo caminho da volta anterior (Massamá, Colaride, Cacém, Carregueira, Serração de Vale de Lobos, Sabugo, Palmeiros, Morelena, Pêro Pinheiro, Montelavar e Cheleiros). Na ligação para Mafra optámos porém por desviar por Alcainça, visto a estrada ser um pouco mais sinuosa e interessante. Fomos sair na Carapinheira, junto à porta vermelha da Tapada Militar.

     Feita a descida para Mafra, seguimos desta vez em direcção à Ericeira, com passagem por Salgados, Sobreiro, Achada e Seixal. Com a abertura da auto-estrada entre Mafra e Ericeira, esta estrada ficou com menos trânsito e mais amiga dos ciclistas.

     Após a Foz do Lizandro, subimos até à Carvoeira e decidimos tentar apanhar uma estrada mais junto ao mar, que tivesse menos trânsito e que nos levasse até às Azenhas do Mar. E foi exactamente isso que fizemos. Antes do Pobral, abandonámos a Nacional 247 (que segue em direcção à Terrugem e ao Lourel) e rumámos à Praia de S. Julião, passando pelas povoações de Baleia e Valbom. A ligação de S. Julião à Assafora inicia-se com uma bela rampa, mas depois entramos em terrenos mais rolantes (embora com tendência de subida).

     Até às Azenhas ainda passamos por A-do-Longo, Arneiro dos Marinheiros, S. João das Lampas e Fontanelas. Toda esta estrada é bastante agradável de fazer e com muito pouco trânsito.

     Passando pela Praia das Maçãs, rumámos depois a Colares onde várias opções se colocavam. Escolhemos fazer a longa ascensão até ao Palácio da Pena, passando pelo Pé da Serra, Cruzamento dos Capuchos e Castelo dos Mouros. Depois foi descer até S. Pedro e Ranholas.

     Em Ranholas, um pequeno engano no caminho a seguir para a Abrunheira, fez-nos percorrer cerca de 1500m no IC19, felizmente sem consequências. E aos anos que eu já não pedalava naquela “bela” via rápida.

     A parte final da volta trouxe-nos por Paiões e Vale Mourão, até à Estrada de Paço-de-Arcos, de onde subimos ainda ao marco geodésico do Cotão para ver as vistas e fazer o segundo momento BTT do dia. Atravessamos a passagem de peões sobre o IC19, junto às bombas da BP, Massamá e casa.

    Grande treino e grande passeio. Apesar de atravessarmos algumas zonas urbanizadas, a maior parte do tempo pedalámos por estradas bem rurais ou secundárias, com excelentes vistas e muito pouco trânsito.

  

Track da volta no Google Earth

 

     Foram os seguintes os dados registados no GPS:

  * Distância 103 Km;

  * V. Máxima 67,8 Km/h;

  * Tempo Deslocamento 5h04';

  * Tempo Parado 5':42";

  * Média Deslocamento 20,4 Km/h;

  * Média Geral 20,0 Km/h;

  * Desnível Acumulado 1810 m;

  * Elevação Máxima 442 m (Pena).

 

     PM


publicado por pedramarela às 21:15
link do post | comentar | favorito

.pedrAmarela BTT


. sobre nós

. seguir perfil

. 1 seguidor

.pesquisar

 

.Maio 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. À Conquista do Oeste III ...

. À Conquista do Oeste II -...

.arquivos

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Junho 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

.links

SAPO Blogs

.subscrever feeds